segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Andréééé Silva!


Estamos todos com a sensação de que começa a nascer uma lenda no Dragão! Convem não esquecer que tem 20 anos e só espero que o continuemos a tratar da mesma forma quando/se os golos não aparecerem com tanta frequência. Mas para já, André Silva personifica tudo o que queremos de diferente para esta época, em relação às anteriores: mais garra, mais qualidade e mais sentimento. Em suma, mais Portismo! Esta evolução do André e a maneira de jogar de Otávio têm empurrado consecutivamente a equipa para a frente e isso dá ainda alguma ilusão para o jogo de terça-feira. Será uma batalha e terá de ser jogada como tal.

O jogo de sábado também acabou por ser difícil. Tornou-se e foi de uma forma um pouco inesperada para quem viu o arranque do jogo. Foi também inesperada para mim, visto que a equipa que jogou é muito próxima da que eu tenho na minha cabeça de 'treinador de bancada'. A única alteração substancial que teria seria o Brahimi no lugar do Varela mas, pelos vistos, não é possível. De resto, meio campo com Otávio no meio e Ruben atrás. É óbvio que a dificuldade não apareceu por se experimentar este meio-campo. Surgiu porque a bola não entrou. O facto de Herrera e Varela terem estado tão desastrados também não ajudou. A bola foi batendo em todo lado, menos nas redes e a equipa foi se ressentindo. Tal não significa que tenha esmorecido e esse é o facto a destacar. Não parámos de tentar e a recompensa veio no final pelo herói habitual. Poderá parecer precipitação, mas estava com a sensação de que teríamos empatado este jogo com a equipa do ano passado. Passo a explicar. Não está em causa a qualidade dos jogadores ou treinador. É apenas uma questão de intensidade de jogo. Vamos lá mais vezes. Dá até a ideia que rematámos e cruzámos demasiado e algumas vezes sem preparação. Mas tem sido uma procura incessante da baliza e isso é uma evolução. Poderão ter reparado que tivemos oportunidades de golo depois do 1-0 que foi aos 85 minutos... Em suma, bom resultado, exibição interessante, eficácia medíocre. 

Individualmente MVP óbvio para André Silva. Decide o jogo. Gostei também, mais uma vez dos laterais. É certo que Layun insiste muito na mesma jogada mas é fácil de reparar que três das melhores oportunidades resultam desse movimento, seja o golo, seja o cabeceamento do Sérgio, seja o cabeceamento para a própria baliza do jogador do Estoril que até foi à barra. Enquanto funcionar... Gostei também de Ruben. Seria de esperar... É o meu jogador preferido do plantel e não o escondo. Poderei dizer que falhou mais passes do que o habitual mas também arriscou mais. Foi importante naquele primeiro ataque ao contra do adversário e ganhou muitas bolas nessas situações. Otávio reagiu bem à alteração para zonas centrais mas não teve o rendimento global dos últimos jogos. Ainda assim, é ali que tem de jogar. Pela negativa Varela e Herrera. Que desastrados! Preocupa sobretudo em Herrera. É que assim, ninguém o vem buscar...

Para terça-feira temo que Nuno deverá apresentar uma equipa menos ousada. Aposto que deverá apresentar: Iker; Maxi, Felipe, Marcano e Alex; Danilo, Herrera, André André e Layun; Adrian e André Silva. Ou Corona Ou Otavio no lugar de Adrian. Joga-se a época!

 

6 comentários:

Pispis disse...

Eu acho q NES devia fazer c Herrera o q está a fazer c Brahimi, Indi e Aboubakar... é que assim não desvalorizava tanto :-)

Otávio não esteve tão inspirado mas perante um adversário tão recuado tb era difícil, era preciso apostar nas alas e Corona esteve bastante melhor q Varela...

Estava c medo da reação do Rúben após o episódio de quarta mas grande jogo q fez, n podemos desperdiçar alguém q tem akeles pezinhos para começarmos a evitar q sejam os nossos centrais a construir jogo :-)

miguel87 disse...

O Ruben não esteve tão bem na primeira parte porque o Herrera estava a jogar ao lado dele, o que permitia que mais um médio do Estoril baixasse e diminuisse o espaço no meio campo ofensivo do Porto. Na segunda parte a diferença notou-se, com Herrera mais subido, abriram-se espaços para o Ruben colocar a bola no ataque, culminando no lance do golo, com a abertura perfeita (mais uma entre tantas) para o cruzamento assistência do Layun.
Esta jogada para mim ilustra na perfeição a diferença entre jogar com ou sem o Ruben. Com ele em campo a variação de flanco e entre linhas é feita a um toque, enquanto que com outros a bola tem que circular mais, permitindo mais tempo para a defesa adversária ajustar a contenção.

De resto, um penalty por assinalar antes dos 5 minutos.
Como se previa, nada mudou e tudo indica que irá continuar na mesma.
Enquanto isso o clube do regime queixa-se de uma arbitragem por não ter sido beneficiado...

pancas disse...

Finalmente encontro gente que como eu, acha que Ruben eh, de longe, melhor que o Danilo - e para mim em todos os aspectos, ate defensivos (va, o Danilo e melhor para cabecear em bolas paradas!).

Nao acho que o NES va tirar o Otavio amanha, mas infelizmente acho que vai voltar a teoria de meio-campo de muito combate e pouca tecnica...

O meu onze titular neste momento seria (tendo em conta que Brahimi, Abou e Bueno parecem nao contar):

Jose Sa; Maxi, Filipe, Marcano, Alex; Ruben, Evandro, JCT; Otavio, Andre, Adrian
(em 4-3-3 com extremos interiores)

miguel87 disse...

Pancas, sem dúvidas. As bolas paradas são mesmo a única mais valia de Danilo em comparação com Ruben. Defensivamente Danilo é mais forte no um para um, mas no posicionamento perde de longe para Ruben. Viu-se no sábado durante os últimos 20 minutos Ruben a ganhar constantemente a
segunda bola logo à saida da area do Estoril, o que permitiu à equipa manter a pressão alta, algo que não se vê com Danilo em campo.
Eu gostava de ver Danilo na equipa, mas na posição 8 e não a 6. Era capaz de acrescentar bem mais do que quando joga mais recuado e ao mesmo tempo dava espaço ao Ruben para construir jogo como ele sabe e pode.
Uma das poucas boas exibições da época passada foi assim que jogamos, Ruben sozinho a 6 com Danilo uns bons metros à frente e Herrera sempre a cair nas posições do ataque. Foi contra a Académica no Dragão.

pancas disse...

Certo. Eu acho que a melhor posicao para o Danilo seria a central. Os posicionamentos sao mais simples (e mais treinaveis) do que os do meio campo. e continuavamos a usar os pontos fortes dele... Um dos piores problemas dele, a meu ver, e que recua a passo e nao esta em frente aos centrais quando e preciso... Se fosse central seria mais simples recuar (e perceber que tem de recuar depressa)

Anónimo disse...

Que pancas!
Num percebo nada disto, já nem digo nada e até me escondo atras do anónimo!