quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Prazo de validade

 

Mais um post curto.

Já nos habituamos às reacções às entrevistas do nosso Presidente. São sempre as mesmas. Apresento um top 5:
5 - O fim da era, versão institucional - Ele está a perder faculdades, já não manda no clube, as pilhas do pacemaker estão a falhar, está num ninho de cobras e está a ser traído.
4 - O fim da era, versão Correio da Manhã - Ele já só faz o que a Fernanda lhe manda e ela não percebe nada de futebol.
3 - O fim da era, versão desportiva - Escolheu mal o treinador e a equipa, é teimoso e não quer reconhecer.
2 - O fim da era, versão sistema - Já não manda nos árbitros, já não manda nos dirigentes da arbitragem, já não manda na Liga nem na Federação, etc.
1 - O fim da era, versão Apito Dourado - Nas palavras do estrôncio Rui Gomes da Silva: «As declarações #apito dourado# são ridículas #apito dourado# porque somos sempre roubados #apito dourado# e eles ganham sempre da mesma maneira #apito dourado# e doi-me a língua #apito dourado# de tanto lamber as botas do Luís Filipe #apito dourado# e ainda hoje #apito dourado# não sei como fui Ministro #apito dourado# nem como o José Eduardo Moniz #apito dourado#  me passou a perna #apito dourado# e a Benfica tv dá lucro #apito dourado#!»

Mas há uma bizarria que apenas surgiu agora. Pelos vistos as queixas de arbitragem prescrevem quando passam mais de 24 horas. Se não nos queixámos depois do jogo, não nos podemos queixar mais tarde. Se o fazemos é um esquema desesperado para chamar a atenção e o conteúdo ou a razão da queixa nada interessam. Para o futuro já sabemos: as queixas de arbitragem têm prazo de validade...