quarta-feira, 10 de julho de 2013

Plantel 2013/2014 - Esboço com mais contornos


O dia de apresentação do plantel e a saída para estágio na Holanda trouxe novidades. Há mais informação sobre o que poderá ser o plantel e julgo que as alterações que aí vêm deverão ser mesmo uma ou duas contratações para o ataque de que se fala e contratações para suprir a eventual saída de jogadores. 

Passo a explicar. Julgo que o plantel está completo que apenas faltará fechar Quintero. Eventualmente e se se conseguir um bom negócio, poderá vir Bernard mas deverá vir por um ano e como trampolim para um dos tubarões da Europa. Mas o verdadeiro alvo é mesmo Quintero. Eu aproveitei para ver dois jogos deste jogado no mundial de sub-20. Vale o que vale. Nestas competições apanha-se equipas bastante exóticas. Mas Quintero é o grande motor de uma selecção que venceu a fase de qualificação sul-americana que deixou de fora Argentina e Brasil. No mundial a selecção não esteve ao nível do seu capitão, mas Quintero levou-os até onde pôde. Marcou, deu a marcar, marcou o livre aos 94 minutos que levou a Colômbia ao prolongamento, assumiu a responsabilidade marcando o primeiro penalti no desempate que acabou por eliminar a sua selecção. Depois estamos a falar de um jogador que jogou em 2012/13 na Serie A italiana. Não é para 'meninos'. É o sucessor natural de James. Prefere jogar a 10 mas é constantemente encostado à ala. Não é propriamente rápido e um driblador, mas tem uma excelente precisão de passe, nomeadamente o último passe, marca bolas paradas, e finaliza bem. 

Faltaria substituir Moutinho. Aqui é mais difícil. Não há soluções óbvias. Preferimos juntar às soluções internas, das quais todos desconfiam, como Defour e Castro, mais quantidade e potencial. E aqui aproveitamos também para ir preparando a sucessão de Lucho. Percebe-se que há uma aposta clara em Herrera, mas neste caso há plano B.

Por falar em plano B, não há portista que não veja com bons olhos a contratação de Ghilas. Já agora, aprecio o facto de não se ter desbaratado mais milhões numa solução alternativa para as laterais. Se temos no plantel um joker como Fucile, há que aproveitar.

Confirmou-se igualmente que Rolando não conta e que Atsu deverá passar um ano sem jogar. Isto em ano de mundial... Tenho pena do miúdo mas não me parece que o FCPorto possa aceitar que estes jovens estrangeiros venham cá fazer a formação para darem o salto por capricho de empresários e sem que a equipa principal desfrute do talento que ajudou a desenvolver. É importante marcar posição para casos futuros...

De resto julgo que o FCPorto irá ao mercado se perder Jackson, se perder Fernando ou se perder um dos laterais. Se perder um central, não deverá ser preciso.

O plantel será o seguinte num total de 27:

GR: Helton, Fabiano e Kadu;

 Laterais: Danilo, Alex Sandro e Fucile;(Mangala, Maicon)

Centrais: Maicon, Otamendi, Mangala, Abdoulaye e Reyes;

Trinco: Fernando; (Castro, Reyes, Defour)

Medio de Transição: Herrera, Castro e Defour;

Nº 10: Lucho, Carlos Eduardo, Tiago Rodrigues e Josué;

Extremos: Varela, Quintero, Iturbe, Licá, Kelvin e Ricardo;

PDL: Jackson e Ghilas;

Será fácil de adivinhar a partilha constante com a equipa B de 2 extremos,  um '10' e um central.

Aguardamos novidades.

12 comentários:

Lamas disse...

Quintero também me enchou as medidas e Ghilas também foi uma fantástica opção... foram contratações do tipo de 2002/03... gostei... agora vamos ver o que vai ser a realidade...

Tiago Rodrigues penso que não é apenas 10, mas também pode integrar o 8... mas também sou sincero, não o vi jogar muitas vezes...

prata disse...

esqueci-me do ismaylov

Lamas disse...

acho que todos nós já o esquecemos... ;) mas era bem estarmos enganados...

Pispis disse...

Extremo e um gajo no meio-campo preocupa-me... se falhar Fernando ainda me preocupa mais...

De resto parece-me uma equipa bastante mais equilibrada até no aspecto de termos mais soluções na frente, nomeadamente Ghilas em vez de Liedson... Para as laterais, já este ano o júnior Rafa poderá assumir se continuar a evoluir até pk cheira-me q o Alex Sandro já só fica mais esta época e convém já preparar o substituto :-)

Qt ao Atsu, é incrível cm matamos a fominha deste menino e à primeira oportunidade quer ver-nos pelas costas... não pode ser... Equipa C com ele!

Pispis disse...

O Prata esquece-se do homem e ele acaba de molhar a sopa contra o MVV :-)

prata disse...

Como é óbvio não vi o jogo e portanto não há cronica. ainda bem que o Ghilas já começou a molhar a sopa

Lamas disse...

não sei se já ouviste falar naquela cena de ver o que passou na TV nos últimos 7 dias... ;)

Taqui disse...

Malta, estamos perante uma mudança do triangulo do meio campo, ou melhor, uma inversão. Parece-me que aqui o Fernando poderá ser vendido,digamos que nao "fará tanta falta" como se joga-se sozinho...
Voltamos a ter nº 10 e jogará lá o lucho, com Herrera e Defour a dar andamento atrás... ou entao lucho recua e entrará Quintero, vamos ver...
Ghilas é bom, mt forte fisicamente, temos homem para entrar nas 2ªs partes, pois liedson, walter ou kléber...
Qt aos extremos nenhum dos que vieram é melhor que Varela, tb me preocupa um bocadinho, aguardemos...
O que se passa com as papoilas?! nao notam que n há mt euforia?! hmmm tou a achar estranho...
Abraço

Taqui disse...

Nao sei se leram este artigo, mas sendo assim é um bocado preocupante: "António Samagaio discorda de Angelino Ferreira

Num artigo escrito para o jornal "Público" no dia 21 de Junho, Angelino Ferreira defendeu que a co-propriedade de passes de jogadores com alguns fundos económicos era a única solução que o FC Porto tinha para continuar a ser competitivo no plano internacional, contudo, António Samagaio, professor de contabilidade no ISEG, não concorda com o administrador portista. "As empresas podem recorrer a várias fontes de financiamento com diferentes níveis de rendibilidade/custo e risco, desde que tais fontes sejam compatíveis com os seus interesses. Daí que os contratos de associação económica devam ser considerados como uma opção e não, como afirma o dr. Angelino Ferreira, 'a alternativa' ao financiamento bancário", atirou, em artigo também escrito no jornal "Público".

Na opinião de António Samagaio, os empréstimos obrigacionistas são uma boa forma dos clubes garantirem mais dinheiro com as transferências de jogadores, dando o exemplo de James Rodríguez e João Moutinho. "Existindo disponibilidade do mercado para financiar a FC Porto SAD, não teria sido preferível obter por uma daquelas vias o financiamento necessário à compra dos jogadores (James e Moutinho)? Para encontrarmos resposta a esta questão, basta vermos que o custo associado à recompra dos direitos económicos foi de 9,375 milhões de euros, um valor manifestamente superior ao custo de 1,3 milhões de euros caso optasse por um empréstimo obrigacionista remunerado a 7% ao ano", explicou.

Não compreende a postura do FC Porto perante os prováveis encaixes futuros com James e Moutinho

O FC Porto terá optado pela venda de partes dos passes de James Rodríguez e João Moutinho porque apenas estaria à espera de "algum retorno financeiro", mas António Samagaio não compreende essa postura. "Segundo o que é dito, a FC Porto SAD perspectivou a eventualidade de receber apenas 'algum retorno financeiro' com Moutinho e James, o que não deixa de ser estranho, pois trata-se de uma perspectiva de algum modo contraditória com uma das vertentes mais bem sucedidas do seu modelo de negócio: adquirir jovens jogadores, desenvolvê-los e vendê-los a posteriori aos grandes clubes europeus. Relembro que, entre 2006/07 e 2011/12, a FC Porto SAD investiu 269 milhões de euros na aquisição dos jogadores e obteve 196 milhões de euros em mais-valias nas transacções dos passes. Neste domínio, a FC Porto SAD é considerada um case study no panorama europeu. Por isso, era provável que os investimentos naqueles dois jogadores de inigualáveis qualidades desportivas pudessem originar ganhos assinaláveis, à semelhança de Anderson, Pepe, Quaresma, etc...", sublinhou.

Taqui disse...

No seu artigo, Angelino Ferreira admitia que a intenção da sociedade portista era "acrescentar valor aos accionistas", mas o professor de contabilidade não compreende esse discurso. "Valor? Mas que valor? Valor económico? O passado não é ilustrativo desse objectivo das sociedades cotadas. A 30 de Junho de 2012, a FC Porto SAD apresentava uma situação financeira de falência técnica, com prejuízos acumulados de 87,8 milhões de euros. O auditor tem expressado nos seus relatórios algumas incertezas sobre a continuidade da sociedade, alertando que esta está dependente da ocorrência de determinados acontecimentos futuros. Embora o valor nominal seja de 5 euros, o mercado atribui uma cotação de 0,31 euros em 18 de Junho de 2013. Apesar da FC Porto SAD ter considerado que a 'evolução da cotação das suas acções não apresentava um comportamento economicamente racional', os factos revelam que a ambição pelo sucesso desportivo tem levado a SAD a gastar para além daquilo que é comportável pelos rendimentos gerados na sua actividade. O prejuízo de quase 36 milhões de euros registado em 2011/12 é bem elucidativo da situação e que ultrapassa largamente os lucros acumulados entre 2007 e 2011. Por isso, é com algum espanto que vejo a manifestação de contentamento com as elevadas rendibilidades proporcionadas aos parceiros de negócio, enquanto se constata que a FC Porto SAD não tem vindo a criar valor para os accionistas", concluiu no artigo escrito no "Público"

Fonte: noticias-do-futebol

miguel87 disse...

Não sei o que PF tem que o VP não tinha, mas estão a dar-lhe um plantel muito mais vasto, rico e completo do que alguma vez VP teve... Se não houver saídas importantes a fasquia para PF vai estar muito alta!

prata disse...

Miguel, se ao menos o Vitro tivesse querido ficar... :)

Mais a sério, nota-se que esse António Samagaio é professor... Muitas opiniões mas tocar da xixa...

Já todos sabemos que o modelo se está a esgotar e que as mais valias são cada vez menores. Mas isso também é uma consequência do nosso sucesso da evolução económica dos países sul-americanos, etc. Uma serie de coisas que o professor ignora porque não sai do gabinete. A gestão financeira do FCPorto é criticável, mas esperava mais de um professor...