terça-feira, 11 de junho de 2013

Risco


Por muito que Pinto da Costa diga que não é uma aposta arriscada, temos como adquirido que o é. Até Mourinho foi arriscado e o Presidente falou de Artur Jorge que, quando foi contratatado, tinha acabado de descer de divisão. De facto, Paulo Fonseca tem uma vantagem sobre André Villas-Boas e Vitor Pereira: currículo. Por onde passou deixou sempre a sua marca, numa carreira conquistada degrau a degrau e onde apenas falhou há dois anos quando não conseguiu subir com o Desportivo das Aves. Mas já todos sabemos que naquelas últimas jornadas da Segunda Liga às vezes há coisas estranhas, mas dizem-me amigos ligados ao Aves, que o trabalho dele mais que satisfez toda a gente. No ano passado a cereja para colocar no cimo do bolo. Mourinho, em 2002 estava a fazer um grande trabalho no Leiria, mas duvido que chegasse ao terceiro lugar. E mesmo essa equipa do Leiria devia ter um orçamento superior ao do Paços de Ferreira do ano passado. Grande resultado! Mais que isso, Fonseca conseguiu pôr o Paços a jogar com bola na maior parte dos jogos. Apostou em jogadores com toque de bola em detrimento daqueles médios destrutivos que estávamos habituados a ver com treinadores mais conservadores como o Mota. É certo que não conseguiu resultados contra os dois primeiros, mas recordo-me que me impressionou a forma como jogou no Dragão, por exemplo. Na altura escrevi: «... aparentemente tão fraco como o jogo de ontem. Digo aparentemente porque, neste caso, as aparências iludem. Não foi um grande jogo do FCPorto mas o adversário estava lá para dificultar ao máximo. Já muitos notaram mas este Paços é de facto uma equipa interessante e difícil.» É raro eu elogiar uma equipa no Dragão porque também é raro ver equipas a procurar discutir o jogo. Não digo que o Paços chegou lá e tentou marcar golos, mas arrumou-se de maneira a amarrar completamente o jogo do FCPorto e sem recorrer ao bloco baixo. E, se bem me lembro, esse jogo  foi perto das melhores exibições da época frente ao Gil Vicente e em Guimarães, e com um golo de Izmailov (?!) e um cruzamento de Alex Sandro que miraculosamente acabou na baliza.

Ou seja, Paulo Fonseca conquistou esta oportunidade praticando um futebol corajoso e organizado. Fê-lo com uma equipa de tostões e defendeu o terceiro lugar durante todo o último terço do campeonato. Em termos de futebol interno, não havia melhor opção. A única que se poderia assemelhar seria a continuidade de Vitor Pereira. Não concordaria e já disse aqui porquê. No entanto, noto aqui problema. A nível interno a exigência vai ser máxima. Esperamos de Paulo Fonseca um campeonato ao nível dos de Vitor Pereira, ou seja, no máximo uma derrota e vitória no final. Exigiremos ainda melhor desempenho na Taça de Portugal. Mas e na Europa? Será que lhe vamos pedir o mesmo que pediríamos na terceira época de Vitor Pereira? Julgo que não e isso poderá ser um ligeiro retrocesso. Falarão do sucesso europeu do inexperiente Villas-Boas mas ele tinha já trabalhado numa equipa técnica que lidava com a Champions League no FCPorto, no Chelsea e no Inter. 

Ou seja, para mim o risco existe sempre, mas julgo que esta aposta é mais arriscada em termos de resultados europeus que em resultados internos.  Veremos ainda que plantel lhe vai ser oferecido. Para já, a saídas de dois dos três armadores de jogo faz prever algumas dores de cabeça para o novo técnico. 

Não lhe desejo sorte porque acho que isto não é uma questão de sorte. Desejo-lhe dois anos com muitos títulos!


10 comentários:

Lamas disse...

Eu estou com muita expectativa... vamos ver o que aí vem... para já não posso dizer que desgostei...

riskolas disse...

O meu preferido era o Marco Silva mas gosto do Paulo Fonseca.
Ele vai ter um trabalho complicado, desde logo, porque o meio-campo foi desmontado. Ainda assim, acredito nele.

Estou "happy" :)

prata disse...

Quem criticava o discurso de vitor pereira foi logo brindado com um 'póssamos' logo nas primeiras frases em directo. Esperemos um conteúdo melhor q as noções gramaticais... :)

riskolas disse...

LOL
Foi feio!

Mas o problema do discurso do VP não era a gramática.

Já reparaste na quantidade de notícias que relevam o relacionamento deste gajo com os jogadores? Muito bom.

Aliás, ele disse que a principla tarefa do treinador actualmente é a parte emocional e eu concordo plenamente. Quanto às tácticas basta ser dedicado. Ele jogou futebol, conheceu muitos treinadores. As bases estão lá.

Estou "happy"

Salgas disse...

Realmente o gajo não parece um prodigio na comunicação...

Mas, desde Mourinho, passando por Vilas Boas estávamos mal habituados...

Estou com o Lamas e com o Riskas, ou seja, não estou descontente...

Vamos ver o que vai ser o Porto pós Moutinho...

Expectante...

miguel87 disse...

"Esperamos de Paulo Fonseca um campeonato ao nível dos de Vitor Pereira, ou seja, no máximo uma derrota e vitória no final. Exigiremos ainda melhor desempenho na Taça de Portugal."

Não concordo. Só depois de ver a composição do plantel no próximo dia 1 de Setembro é que se poderá avaliar qual a exigência a fazer ao novo treinador. E digo isto mais pelas eventuais saídas - Fernando, Mangala, Jackson - do que pelas entradas, que sejam mais ou menos craques vão precisar sempre de tempo para se impor.

miguel87 disse...

"Quem criticava o discurso de vitor pereira foi logo brindado com um 'póssamos' logo nas primeiras frases em directo. Esperemos um conteúdo melhor q as noções gramaticais... :)"

Além dessa ainda se saiu com um "eu sou uma equipa que..."

Além da pronuncia marcadamente sulista.

Neste aspecto do discurso parece estar mais próximo do seu assumido mentor JJ...

Apesar disso estou como o Riskolas, contente por ele privilegiar uma boa relação com os jogadores (á imagem do que fazia AVB) e de dar grande importância à parte emocional.

miguel87 disse...

Artigo interessante:

http://www.football365.com/f365-features/8770332/Porto-The-Real-Champions-Of-Europe

Anónimo disse...

Muitos falam dos éxitos de um treinador, mas temos que reconhecer que nem tudo depende do trabalho diario, eu diría que mais de 50 por cento do éxito depende dos jogadores a disposicao, se forem bons, o éxito está mais próximo...vitor Pereira conseguiu ter éxito com um empobrecimento significativo do plantel,e pela amostra e até ao momento nao vislumbro enriquecimento e acrescimo de valor no plantel, repito até ao momento.

Anónimo disse...

ai está o pagamento do abrir de pernas da ultima jornada do campeonato...

F. CORRUPTOS P.