segunda-feira, 3 de junho de 2013

Problemas nas transições



Já sabemos que o FCPorto privilegia a posse de bola e a organização. As transições não constituem um problema grande para quem joga desta maneira. Mas não é dessas transições que estou a falar. Estou a falar de transições das camadas jovens para a equipa principal.

O grande entrave a essa transição está diagonosticada há muito: a qualidade do plantel principal do FCPorto. Não há qualidade suficiente nas camadas jovens para que os jogadores entrem directos no plantel principal. Este ano, no entanto, olhámos para o banco e não vimos aquela fartura habitual. Nem o facto que existir uma equipa B ajudou...

Vamos por partes. Há vários anos que acompanho as várias equipas de sub-19 dos Dragões e chego sempre à mesma conclusão: dificilmente se aproveitará algum destes jogadores. Pelo menos no imediato. Mas identificam-se facilmente os que estão mais perto do nivel de qualidade mínimo. Há cinco anos tínhamos Castro e Ukra. Há três anos sobressaía Sérgio Oliveira. Há dois tínhamos Atsu. No ano passado apostava em Tiago Ferreira e Vion. Este ano gostei de Podstawski, André Silva e sobretudo de Rafa. Atenção a este jogador porque deverá ser o sucessor natural de Alex Sandro. De facto, é pouco. Tem havido uma tentativa de reaproximar a qualidade das camadas jovens. O tal projecto 606 foi bastante badalado mas teve resultados fracos.

Mas se alguém andava iludido, a sofrível equipa B deste ano veio expor esses problemas. A qualidade do treinador também me parece que não ajuda, mas a matéria prima é fraca.

Mas, com tão pouca matéria prima, é até caricato que não se consiga aproveitar o único jogador de qualidade que saiu das camadas jovens nos últimos anos. O único capaz de se assumir como solução imediata. O contrato já devia ter sido renovado há muito tempo, mas não consigo pôr em causa a actuação da SAD. Não tenho muitos dados sobre o assunto. Dá a ideia clara que o jogador não renova porque não quer. Quer mais dinheiro, quer jogar mais, etc. Enfim, é estrangeiro, provavelmente ingénuo e deve ter um empresário mercenário, daqueles que vai tentar fazer comissões com a sua transferência todos os anos.

Esta situação levanta várias questões. Com as dificuldades crescentes em termos de financiamento bancário, mercados publicitários, cargas fiscais, não estaria na altura de amenizar o ciclo de sobreinvestimento no mercado sul-americano? As coisas têm corrido bem, mas nove milhões por um jogador jovem estrangeiro não é um risco superior ao de investir nas camadas jovens? Será que Atsu não aceitaria ficar por um salário próximo do que se irá pagar a Reyes? Notarão que, nos últimos tempos, por cada jogador que vendemos por valores perto da cláusula de rescisão, fazemos 30-40% de mais valia. Nada mau, mas um jogador das camadas jovens dá 100%! Os 10 milhões da clausula de Atsu darão quase tanto como a transferência de Moutinho. Isto do ponto de vista puramente financeiro (o rendimento de Moutinho valeu muito mais que a mais valia na sua transferência). Outra questão: que expectiva tem um craque de 13 anos com uma proposta para os três grandes? Analisando o FCPorto poderá notar que os jogadores de maior destaque nas camadas jovens nos últimos cinco anos, Atsu e Castro, não conseguem vingar na equipa principal e que a equipa B é mais um casting constante para jovens sul- americanos que uma porta para a equipa principal...

O modelo do FCPorto é um modelo muito elogiado e justamente. Eu sei como funcionam os empresários sul-americanos. Para o FCPorto é preciso contratar em quantidade para chegar à qualidade, mas eles não lidam assim com todos os clubes Europeus. Com o dinheiro que temos dado a esta gente já não deveria ser assim. Ainda assim, se Reyes for o único investimento deste género este ano, fico contente. As restantes contratações parecem estar a ser mais comedidas, criteriosas e coerentes com os tempos que vivemos. Mas duvido que esta situação seja única e deve estar aí a chegar mais um investimento avultado. Que seja um Hulk e não um Prediguer! E já agora, recomendo mais investimento nestes jovens que, no seu primeiro ano de juniores, lutaram até ao último minuto pelo título de sub-19!

6 comentários:

Lamas disse...

Crónica construtiva e que tenta ir à raiz... concordo com a lógica de pensamento... sem dúvida que é preciso tentar recolher "mais sumo" das camadas jovens... mas também é um facto que estes mercados sul-americanos tem dado resultados interessantes, havendo os barretes normais pelo caminhos...

Argentina - Licha e Lucho
Uruguai - Álvaro Pereira
Colômbia - Falcao, Guarin e James

Este último, de facto foi muito produtivo... vamos ver como se portam os mexicanos...

Pispis disse...

Eu acho que já é tempo de repensarmos esta história das camadas jovens e se calhar deixar isto para os outros, tipo Sporting…

Se formos a analisar bem, com as estruturas criadas há cerca de 10 anos (ou seja com muito tempo para ver os seus frutos) e com projetos que a nível de retorno (seja a nível financeiro ou a nível de jogadores) deu zero, as conclusões são muito más. Não sei para que perdemos tempo a tentar formar jogadores quando a nossa tendência é contratar fora ou cá dentro aos outros clubes quando já estão formados…

É o caso do Moutinho e agora do Tiago Rodrigues e do Ricardo. O próprio Josué é um bom exemplo: um jogador que era nosso e onde tivemos agora que gastar mais dinheiro para o ir buscar novamente.

Eu sou 100% a favor da formação e gostava de ver uma equipa tipo Barça ou a nível interno tipo Leixões que 14 dos 22 jogadores são bebés, mas geralmente só se aposta quando há falta de dinheiro para comprar (é o caso do Leixões e é o caso do Sporting) porque qualidade tem que haver… Portanto, ou se começa a aproveitar ou abdicamos da formação e continuamos a pagar o serviço aos outros :-)

Outra coisa importante no FC Porto é o peso da camisola. Eu acho que é mt mais fácil um puto do Sporting integrar o plantel sénior por duas razões: primeiro porque o plantel é muito mais fraco e depois um puto do FC Porto tem uma margem de manobra muito mais reduzida. Se começa a enterrar várias vezes num jogo ou em alguns jogos consecutivos está queimado perante os adeptos…

prata disse...

Eu acho que não devemos desistir. Até porque é um investimento bem mais barato.

Pispis disse...

Para já não está a ser muito barato, ainda não houve um formado pelo Centro de Estágio que rentabilizasse o investimento... mas continuo a gostar de ir ver as jovens promessas ao Olival :-)

prata disse...

Tinha-me esquecido deste Herrera. Pelos vistos confirma-se que vem. São já dois.

Artur disse...

Mas não vais esquecer daqui a pouco tempo!!!Jogador fantástico