quinta-feira, 12 de julho de 2012

Como?


Depois da vergonha que foram os salários em atraso nas modalidades, acabou o Basket? Eu sou um adepto do futebol. Não sigo as outras modalidades. Mas não me parece seja esta a postura da grande maioria dos sócios do FCPorto e, como tal, é um dia bem triste para o portismo. Julgo até que dificilmente se teria tomado esta decisão se a equipa tivesse sido Bicampeã. Por último, achei excessivo o luxo na construção daquele pavilhão, numa obra 'inventada' naquele sítio exíguo e profundo, para apenas três modalidades a gerar receitas de bilheteira. Pois agora são duas...

11 comentários:

Lamas disse...

e acabou logo após o Carlos Lisboa nos ter indicado o caminho para a vitória...

para mim foi uma notícia inesperada... talvez não tanto para quem anda mais a tempo às modalidades e ao basket em particular...

Krokodillo disse...

Embora seja triste a notícia, era já previsivel. Ja se ouviam rumores de atrasos de pagamento de 4 a 5 meses...

Numa análise mais prática, não me parece possível manter equipas de basket com salarios médios na casa dos 15 mil euros -> não há receita que chegue...

Aliás, não há sequer público que justifique-> planteis profissionais a jogar/ atuar para 50 pessoas por jogo (excluindo os Porto-Benfica) é ridiculo...

Enfim, bate-se no fundo - não só o clube, mas todo o basket - pare depois se poder erguer... espero eu...

PS: sim, só comento posts de basket

riskolas disse...

Parece-me mais uma forma de pressionar a queda da federação e a reestruturação de todo o Basket em PT.

O que o Kroko escreve é verdade.

Temos de limitar o acesso de estrangeiros aos clubes. No máximo 1.
Só assim a modalidade se desenvolverá de forma sustentada, pois os custos têm de baixar consideravelmente, já que a receita não tem muito por onde aumentar.

LC disse...

o meu clube as vezes envergonha-me!!
oops...o clube não, os irresponsaveis dos dirigentes!!!!são uns chulos

Taqui disse...

Calma Prata!
Compreendo a tua reacçao, a minha foi identica, mas tu tens outras responsabilidades e nao podes fazer aqui esses comentarios sem a confirmaçao oficial por parte do clube!
Hoje já negam essa informaçao...
aguardemos o que prevalece.
Abraço

prata disse...

Esperemos então. Mas não contes com muito...

Manuel disse...

O problema é mais profundo e por vezes não são simples de solucionar.
Leiam isto que me parece bastante lógico, para quem conhece como as coisas se passam.


"Todos os jogadores fizeram essa exigência (receber os ordenados a tempo e horas) aliás nenhum deles assinou o documento de não dívidas, pelo que o Porto tem que pagar os ordenados até à próxima semana, senão é executada a garantia bancária que se entrega no inicio da época.
Dizem as más línguas que se essa garantia bancária fosse executada dava um barrete descomunal, metendo gerentes de bancos ao barulho e tudo.
Com esta afronta dos jogadores o líder mor decidiu acabar com a secção.
(Por causa da afronta e por causa de ter que pagar tudo o que se deve do ano passado e não haver guito para um garantia bancária "á séria")"


Essa de dizerem que é por causa da Federação é apenas para atirar areia para os olhos das pessoas. A megalomania mais tarde ou mais cedo paga-se cara. É dos livros.

prata disse...

De facto, uma afronta...

Anónimo disse...

16.7.12




O país está a fechar nas zonas longe do poder



in Jornal de Notícias

As sucessivas políticas de encerramento de serviços públicos penalizam sobretudo os distritos interiores do Norte e do Centro. É o Estado a fechar-se ao Interior e a recuar nas funções sociais.

É uma tripla ameaça: perderam escolas, serviços de saúde e estão na iminência de ficar sem tribunais. A investigação realizada pelo JN identificou 27 concelhos nestas circunstâncias, onde as populações têm dificuldade crescente no acesso aos serviços públicos que garantem direitos fundamentais: Educação, Saúde e Justiça.

Foram as maternidades, as urgências, as consultas à noite, as extensões de saúde nas localidades mais recônditas, as escolas primárias isoladas, primeiro com menos de dez alunos e, mais recentemente, com menos de 21.

Anónimo disse...

Falar é facil.

E ajudar?

É que há uma grande crise por todo o lado e com um denominador comum: DINHEIRO.

A crise economica é FICÇÃO ?!

Hoje não há modalidades amadoras é tudo profissional!!!...

Anónimo disse...

Alegando a atual conjuntura federativa, a forma como o basquetebol tem vindo a ser gerido em Portugal e a situação económica, o FC Porto anunciou ontem a suspensão da equipa sénior de basquetebol.
Através de um comunicado divulgado no seu site, os dragões confirmaram aquilo que há já alguns dias vinha a ser tema de especulações, optando por parar a atividade da sua equipa principal, não a inscrevendo na Federação Portuguesa de Basquetebol para a próxima temporada, sendo que o prazo para o fazer terminou ontem às 18 horas. A Académica, finalista da Taça de Portugal – ganha pelos portistas – será o adversário do Benfica na Supertaça, em Novembro.

Apenas a equipa sénior vai parar, todos os outros escalões se mantêm a trabalhar, tendo Moncho López sido convidado a dirigir a modalidade no clube (ver caixa), que, de resto, conforme diz o comunicado, pretende retomar a atividade da equipa principal no mais curto espaço de tempo.
Durante os últimos dias foram mantidos muitos contactos, várias reuniões foram tidas no sentido de arranjar uma forma de os dragões se manterem em competição. No entanto, sem sucesso. Em cima da mesa, numa reunião que decorreu até tarde durante a noite de anteontem, esteve a dissolução da SAD do basquetebol – o que vai mesmo acontecer, regressando a modalidade ao clube – e a redução do orçamento da secção para números mais próximos daqueles que são praticados no andebol e no hóquei em patins e que rondam os 700 mil euros. Também se discutiu uma mudança de estratégia, com a aposta a passar pela formação, a exemplo do que faz o andebol, que geralmente contrata atletas novos e com margem de progressão, sendo Gilberto Duarte um exemplo perfeito dessa política: chegou ao FC Porto com 15 anos, foi evoluindo e, na época passada, com apenas 21 anos, foi o MVPdocampeonato.

É essa a linha de orientação que o basquetebol pretende seguir. De resto, a manutenção dos escalões de formação vai nesse sentido, tal como o desejo de manter Moncho, por forma a fazer regressar os azuis e brancos à competição sénior no mais curto espaço de tempo.
O JOGO sabe que o técnico ainda não deu resposta ao convite que lhe foi endereçado, mas há fatores que podem pesar na sua decisão, caso da forte ligação que desenvolveu com o clube e que nunca escondeu – antes pelo contrário! –, mas também a esperança de ver os seniores de novo em atividade. No passado, Moncho teve propostas semelhantes de outros clubes, as quais descartou.

As dificuldades orçamentais e o facto de alguns jogadores não terem acedido às propostas de redução dos salários, levaram a esta decisão do FC Porto de suspender a equipa sénior. Os atletas ficam agora livres de negociar com outros


in ojogo.pt